"Ninguém cometeu maior erro do que aquele que não fez nada só porque podia fazer muito pouco." Edmund Burke

25.2.06

a outra face da "responsabilidade" ambiental da geração em Termoeléctrica

Eis o link de uma das últimas notícias do Público.

Deixei lá um comentário que entretanto não publicaram, suponho que por terem achado "inconveniente". Infelizmente não guardei cópia do que escrevi mas a ideia era a seguinte (alguns items estou a acrescentar agora):

- Esta notícia está uma confusão; falam em CO2 no primeiro parágrafo, no segundo parágrafo já falam em óxido de Azoto e enxofre (como se houvesse confusão possível entre estas substâncias);

- O dióxido de enxofre não é um GEE (gás com potencial de efeito de estufa) e, embora deva ser reduzido, não deve ser anunciado como tal (juntamente com o CO2 e N2O)

- Questiono como será possível baixar as emissões de CO2 reduzindo apenas estes outros gases mencionados (sem mexer especificamente no gás mais emitido: o dito CO2);

- Juntam "partículas" no mesmo saco dos gases (depreende-se com potencial de efeito de estufa); as partículas, neste gíria, serão as PM10, a meu entender, as partículas com diâmetro médio de 10 microns (emitidas, por exemplo, pelos motores a diesel e que estão ligadas ao agravamento de problemas respiratórios); (esta parte entretanto foi corrigida na notícia)

- Ponho em causa o rigor científico da notícia (daí talvez a "inconveniência" que referi);

- Os investimentos em causa não tinham a ver com aproveitamento de resíduos (medida mais eficaz para reduzir as emissões de CO2) mas sim com "reduzir fortemente as emissões poluentes", pelo que não acho correcto estar a publicitar o que não foi feito;

- É querer mostrar uma face "limpa" e "responsável", alimentando as notícias com "trocos", quando o grosso da carga poluente continua intacta (note-se que a central do Pego é uma central a fuelóleo, cuja actividade principal é queimar combustível fóssil e emitir CO2; esse princípio de funcionamento, diga-se de passagem, é bastante mais difícil de contornar).

Leiam, reflitam, comentem, deixem o vosso comentário também na página do Público...